22 dezembro 2013

>Campinas abre sindicância sobre suposto ‘servidor fantasma’ na saúde

Ministério Público analisa denúncia sobre erro da
 Prefeitura (Foto: Vanderlei Duarte/EPTV)
Dentista teria recebido R$ 7 mil por mês, em 2013, sem trabalhar.Processo tem até 60 dias para apurar denuncia feita por vereador

A prefeitura de Campinas (SP) instaurou no ultimo dia (18) uma sindicância para apurar denúncia sobre a existência  de um ‘funcionário fantasma’ na Secretaria de Saúde. O Ministério Público estadual já solicitou explicações  a administração sobre a suspeita de que um empresário da cidade recebeu em 2013, salário de 7,1 mil, em media, para atuar como dentista, mas não compareceu ao trabalho este ano.

De acordo com o secretário de Administração, Silvio Bernardin, a investigação interna é, a principio, para apurar as razões de a chefia do servidor, no caso, a Secretaria de Saúde, não ter comunicado a administração que o funcionário não exercia mais a função para a qual havia sido contratado. A sindicância será realizada pelo Departamento de Processos Disciplinares Investigatórios (DPDI).

O dentista José Luiz Junqueira também é proprietário de uma universidade na área da saúde. Após a denúncia da possível irregularidade envolvendo o nome dele ser levado a público pelo vereador do PSOL, Paulo Búfalo, no dia 10 de dezembro, a Prefeitura exonerou o empresário, no dia 16 seguinte. 

A administração negou que o salário tenha sido pago a Junqueira neste período, apesar de a informação constar no Portal da Transparência, onde são divulgadas as contas públicas e remuneração dos servidores. Segundo a Prefeitura, os dados foram publicados no portal porque a matricula do servidor ainda estava ativa, apesar de ele ter pedido exoneração em 2012.

O vereador Paulo Búfalo conta que começou a apurar o caso após receber, em setembro, uma carta anônima com a denuncia. Ele fez um pedido de abertura de CPI, mas como o prefeito tem maioria na Câmara, a comissão não emplacou.


Por meio de nota, a assessoria do dentista José Luiz Junqueira informou que o empresário vai prestar todos os esclarecimentos necessários aos órgãos competentes. A época da denuncia, Junqueira informou que foi funcionário da Prefeitura desde 1978 e cumpriu com suas funções até 2012, quando deixou de receber remuneração após pedido de exoneração. 

O empresário afirmou, ainda, que o pedido não foi processado, e que por isso houve “um suposto engano do Portal Transparência, que ainda mantém a informação de remuneração mensal”, o que, segundo ele não aconteceu.

Do Portal G1 Campinas

21 dezembro 2013

>Nossa busca por promoções em lojas e supermercados continua

Como eu havia prometido estou voltando com mais alguns cartazes ridículos de promoção de supermercados e lojas onde quem confeccionou estava, com certeza, muito mal informado.
Olhando para o cartaz parece que estamos entrando em um SexShopping e não em um supermercado
Essa eu não quero. Imagina a mãe vestindo um filho com essa roupa, com certeza, ela vai  ficar com a consciência pesada
A Coca-Cola resolveu inovar e pela dica do cartaz começou a vender por quilo, deve dar mais lucro.
Como vivemos em um mundo cheio de competição e lançamentos a Colgate também resolveu lançar um creme dental revolucionário. Afinal de contas ninguém sabe ondes as cáries pode aparecer, melhor prevenir.
Este desconto não e animador, quem sai ganhando mais é o mercado.

Imaginar um casal que na maioria das veze vive brigando. Em um colchão desse...como podemos ver pelo cartaz, não serve apenas para deitar tem outras utilidades, neste caso deve ter manual de instrução.
Imagens da web

14 dezembro 2013

>Autoridades tenta enganar com segurança publica meia-boca

Tem se falado muito em segurança e Campinas e sua região não foge a regra. Os crimes estão pipocando por todas as regiões, periferia ou não.  Segundo consta, hoje a cidade tem menos policiais do que há vinte anos.  A cidade foi palco de vários crimes que chamou a atenção do Brasil, e um deles foi a morte do prefeito Antonio da Costa Santos, o (Toninho) ocorrido em 11 de setembro de 2001, justamente no dia que ocorreu o maior ataque terrorista da história americana.

O crime de morte do prefeito até hoje não foi esclarecido totalmente. A família já recorreu todas as instancias e não conseguiu convencer as autoridades de Brasília que o crime tem motivação política.  Enquanto isso as autoridades locais colocou a culpa na quadrilha de Wanderson Nilton de Paula Lima, (o Andinho).

Falando em segurança pública, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou e vem anunciando que irá criar, ou melhor, criou a Segunda Delegacia Seccional na cidade.  Foi inclusive motivo de propaganda eleitoral do partido na televisão. Só que para criar a referida delegacia serão desativados vários distritos policiais nas periferias da cidade, o interessante que só os bairros periféricos foram atingidos com a medida. O 3º DP que fica no bairro Chapadão, região nobre da cidade não foi incluído na lista dos desativados qual será o critério e a explicação para isso.

A nova sede da seccional aqui vai ficar a 7, 9 km do DP que atende moradores do Ouro Verde. Delegacia integrará quatro distritos policiais que serão fechados em Campinas, o prédio está alugado para o Estado por um período de três anos.

"Fora das regiões do Campo Grande  e Ouro Verde – as principais da sua área de cobertura -, o prédio que sediará a Segunda Delegacia Seccional de Campinas (SP), no jardim Londres, ficará a 7,9 quilômetros do 9º Distrito Policial, delegacia que atualmente atende a estas regiões. O 9º DP é um dos quatro distritos que serão desativados e integrados à nova unidade.

A escolha também causará reflexos para quem usa transporte público. Em relação ao Terminal Ouro Verde, que recebe pelos menos 65 mil usuários, o 9° DP está localizado a 650 metros. A nova seccional ficará a 7,4 quilômetros da estação.

A maior distancia, de 11,2 quilômetros, será entre a seccional e o 8º DP, na Vila Padre Anchieta. Moradores que até então recorre ao 6º DP terão de andar no mínimo 4,3 quilômetros, enquanto o prédio do 11° DP, no Jardim Ipaussurama, está a 2 quilômetros da nova unidade de segurança". Se a bandidagem já dava as cartas em alguns lugares imagina quando a transferências dos distritos policiais se consolidarem. O governador Geraldo Alckmin (PSDB), acha que está fazendo uma grande coisa e, o pior, o prefeito Jonas Donizete, (PSB), também acha. 

Só a população não vê assim. Na verdade o povo dessa cidade está sendo enganado. Melhorar a segurança da cidade, o ideal seria criar a nova seccional, equipa-la com toda infraestrutura e claro, não fechando os distritos citados para criar a mesma, isto sim, seria tratar a segurança pública com seriedade e não brincar de faz de conta.

(a) J Araújo

07 dezembro 2013

>Seminário na Unicamp discute segurança interna do campus

A segurança interna na (Unicamp), Universidade Estadual de Campinas foi discutida na ultima quinta-feira (05), onde se sentara à mesa de negociação, a direção da universidade, o (DCE), Diretório Central dos Estudantes, o (STU) Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp,  e representantes da Policia Militar. Diante da presença desses últimos, os estudantes espalharam cartazes como forma de protesto, em um deles estava escrito: “Não estamos seguros ao lado da PM”.  

Desde o mês de setembro ultimo existe um clima de tensão dentro do campus da universidade, isso ocorreu com a morte do estudante de engenharia Denis Papa Casagrande, de 21 anos, assassinado a facadas, por uns grupos integrantes do movimento punk que não estudava na universidade.

Depois do crime, por determinação do governador do Estado, a Polícia Militar passou a fazer rondas com mais frequência dentro do Campus, o que gerou uma grande insatisfação por parte de um grupo de radicais que invadiram a reitoria exigindo a saída imediata dos policiais. No caso dos indiciados pelo crime do estudante em uma festa “clandestina” nas dependências do campus, são eles: o casal de namorados, Anderson Marcelino Mamede e Maria Tereza Pelegrino, ambos de 20 anos, - essa assumiu ter desferidos os golpes -  Andre Motta, de 22, e dois menores, de 15 e 16 anos.

Na visão deles, pelo repudio à polícia, talvez quisesse a presença do “chefe da boca de fumo”, só pode ser isso! A participação da policia nos debates foi vista pelos estudantes como um afronta.  Paulo Gouveia, diretor do STU, chegou a afirmar que a Unicamp deu um “passo atrás” ao chamar a PM para participar dos debates, talvez esse diretor preferisse que fosse chamada aquela organização criminosa que age dentro e fora dos presídios e penitenciarias paulistas.

É de se estranhar, já disse e volto a repetir, enquanto a população acuada e com medo cobra segurança os estudantes da USP e Unicamp dispensa a presença da policia.  Mas, quando esses mesmos que são contra, quando são vitimas da própria criminalidade dentro de qualquer uma dessas universidades clama por segurança e reclama da ausência  da mesma. Nesse caso deveria recorrer a outros órgãos e não a segurança pública. Os estudantes tem medo de que afinal?

(a)  J Araújo 

Postagem em destaque

>Os vândalos e as mentiras dos nossos políticos

Uma folheada no jornal  de hoje fiquei indignado com algumas noticias. Uma delas dava conta do ataque de vândalos a dez ônibus do transp...